Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Saiba como foi o 2º dia da UFRJMUN 2017

September 7, 2017

No dia de hoje, 7 de setembro, ocorreu o segundo dia do UFRJ MUN 2017 e o primeiro dia de simulações na Faculdade Nacional de Direito. Foram realizadas três sessões ao longo do dia em cada comitê, uma pela manhã e duas durante a tarde com intervalo para coffee break.

A Agência de Comunicação (AC) do evento este ano está sendo representada por quatro jornais: o Al Jazeera, do Oriente Médio, que hoje, primeiro dia, conta com quatro delegados, sendo que um precisou se ausentar das sessões após o almoço; o Clarín, jornal argentino, com dois delegados; o New York Times, representando os EUA, com três delegados; e o Pravda, jornal russo, que conta também com quatro delegados. De acordo com o diretor da agência, Robson Agostinho (RAJ), o trabalho dos jornalistas de maneira geral foi muito bem executado neste primeiro dia, tanto através das redes sociais quanto na cobertura dos comitês, apesar de alguns problemas enfrentados na organização de alguns dos jornais. Ainda segundo ele, as matérias serão divulgadas por um jornal impresso ou ao final do dia, ou no dia seguinte, em todos os dias do evento, exceto no último dia, devido à cerimônia de encerramento. A cobertura da Agência de Comunicação é de fundamental importância na representação da mídia com o seu papel de divulgar as principais informações ao redor do mundo.

O III Comitê para Assuntos Sociais, Culturais e Humanitários (SOCHUM), que possui como tema a proteção e promoção da liberdade religiosa como um direito humano e o desafio do fundamentalismo religioso frente ao contexto multicultural, teve 27 simulandos presentes, representando 23 delegações e mais 4 simulandos da Agência de Comunicação representando os veículos New York Times, Clarín, Pravda e Al Jazeerah. O simulando Igor Viana Ferreira, que representou os Estados Unidos da América, falou sobre a dificuldade de delegar pelos EUA, que enfrentou diversas acusações que já eram por ele aguardadas, e comentou ainda que espera representar o país de forma coerente a política externa e que, ao mesmo tempo, faça diplomacia.                                                                                                                                                                                                                                                                                                               
A primeira sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) foi aberta com a exposição do caso e subsequente votação do pedido de declaração de inconstitucionalidade da lei que proíbe o envio do "gemidão do Zap". Ao iniciar a sessão lendo o caso, o diretor e o restante da banca o fizeram com bom humor, mas sem perder a seriedade do momento. O simulando diretor do STF, Carlos Vinicius Ferreira, ao ter a opinião a respeito do tema questionada, deixou bem claro a importância de se valorizar a cultura do Brasil, contudo, não achou defensável justificar o gemidão como sendo algo tombado como patrimônio brasileiro, justamente pelo fato de que tais áudios não vêm de personalidades que fizeram a história da pornografia nacional, mas sim de atrizes estrangeiras de tal indústria. Nas outras sessões, discutiu-se a Lei de Anistia.


A discussão do Banco Mundial (BM), órgão voltado para os as soluções econômicas, é sobre erradicação da pobreza extrema até 2030. Hoje, no primeiro dia, contou com 31 pessoas, divididas em 17 delegações, que representavam países. O simulando Gabriel Chianca, que representou a Nigéria, argumentou incisivamente a favor dos países de extrema pobreza, discutindo principalmente com os representantes dos Países Baixos. Sobre o comitê, afirma a dificuldade de trabalhar com Economia, pois não se trata apenas de princípios mas de dados estatísticos que geram muita discussão. Gabriel, estudante da UFRJ, ainda parabeniza e agradece a organização do evento devido à alegria de simular dentro da própria faculdade.


O Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) é o conselho que, dentro da ONU, discute as questões de paz e segurança internacionais. A simulação tem como tema a instauração de corredores humanitários em Aleppo, na Síria. Estes são zonas temporariamente desmilitarizadas que permitem a passagem segura de refugiados.


O debate de hoje contou com 42 pessoas, representando 20 delegações. Tito Paiva, representante da China, afirma que, entre suas simulações, o UFRJMUN é uma das mais organizadas, e ainda que confuso com as novas regras, parabeniza o evento.

Já o CRIM (Conselho Real da Idade Média) é um comitê que se difere do debate diplomático dos outros comitês. Com o tema Guerra dos Cem Anos, dois ambientes, divididos em França e Inglaterra, simulam, com peças e mapas, as ações militares desta guerra. No total, a estrutura conta com 7 reis 1 duque, 1 floresteiro, 1 mestre artesão e 2 consultores que, entre os países, traçam as rotas de ação. Além disso, contam com 1 bispo como meio de controle de tempo e contato, imparcial, entre as partes. Neste evento, o bispo é Danilo Sardinha, estudante de direito da UFRJ. Em sua primeira simulação no CRIM, afirma ser uma experiência completamente nova, e reitera a dificuldade de entrar no papel do século XIV.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square